Fechar

Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro



“Lesbocídio: Violência Invisível” é tema de debate na EMERJ

clique nas imagens para ampliar

“A academia é lugar de liberdade de expressão. Meu compromisso é tornar a Escola da Magistratura uma escola plural, em que todas as vozes sejam ouvidas e que o discurso de ódio não tenha lugar”. A partir dessa declaração, o desembargador André Gustavo Corrêa de Andrade, diretor-geral da EMERJ, abriu o evento “Lesbocídio: Violência Invisível”, nesta sexta-feira, 5 de março, na Escola.

O encontro foi promovido pelos Fóruns Permanentes de Direitos Humanos e de Violência Doméstica Familiar e de Gênero da EMERJ, presididos respectivamente pelo desembargador Caetano Ernesto da Fonseca Costa e pela juíza Adriana Ramos de Mello, que apresentaram os palestrantes.

A pesquisadora Alessandra Kelly Tavares de Oliveira explicou a importância do termo lesbocídio (mulheres lésbicas assassinadas por serem lésbicas): “É importante sempre nomear a violência, porque ao nomear a gente cria sentido, cria vocabulário, cria a percepção da violência. Nós precisamos de proteção para termos igualdade perante a lei”.

O documentário “Eu sou a próxima” com relatos de mulheres lésbicas, principalmente negras, que sofreram violência, foi exibido logo no início do evento. A assistente social Fernanda Gomes de Almeida falou do caso da Luana Barbosa dos Reis, mulher lésbica, morta por policiais em Ribeirão preto, São Paulo, em abril de 2016. “O caso dela representa todas nós. Foi um crime de Estado por ter sido praticado pela polícia de São Paulo”.

A professora Suane Felippe Soares falou sobre o dossiê “Lesbocídio – as Histórias que Ninguém Conta” uma pesquisa de sobre o assassinato de lésbicas no Brasil, referente ao período de 2014 a 2017. “Há uma grande subnotificação dos casos. Mas o que me chama mais a atenção é a lesbofobia institucional, que é a incapacidade do governo de se responsabilizar pela segurança das lésbicas. Ser lésbica está muito perigoso”.


05 de abril de 2019

Fonte: Assessoria de Comunicação Institucional da EMERJ


1 |  2 |  3 |  4 |  5 |  6 |  7 |  8 |  7 |  8 |  9 |  10 |  11 |  12 |  13 |  14 |  15 |  16 |  17 |  18 |  19 |  20 |  21 |  22 |  23 |  24 |  25 |  26 |  27 |  28 |  29 |  30 |  31 |  32 |  33 |  34 |  35 |  36 |  37 |  38 |  39 |  40 |  41 |  42 |  43 |  44 |  45 |  46 |  47 |  48 |  49 |  50 |  51 |  52 |  53 |  54 |  55 |  56 |  57 |  58 |  59 |  60 |  61 |  62 |  63 |  64 |  65 |  66 |  67 |  68 |  69 |  70 |  71 |  72 |  73 |  74 |  75 |  76 |  77 |  78 |  79 |  80 |  81


voltar