Fechar

Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro



Especialistas debatem as diferenças do processo de recuperação judicial no Brasil e na Holanda

clique na imagem para ampliar

Especialistas brasileiros e holandeses se reuniram na EMERJ, nesta segunda-feira, 27 de maio para debaterem temas como insolvência e reestruturação. Durante as palestras do evento “Brasil X Holanda” os convidados compararam as legislações dos dois países.

O encontro foi aberto pelo desembargador André Gustavo Corrêa de Andrade, diretor-geral da Escola, que ressaltou a relevância do debate: “Esse é um tema complexo que exige um saber especial, o magistrado precisa ter conhecimentos de natureza econômica. E é um tema importante do ponto de vista estratégico para o Estado do Rio de Janeiro, que atravessa uma crise econômica”.

Os advogados Luís Thomás Alves de Andrade, Frederic Verhoeven, Lucas Kortmann, Márcio Guimarães e Eduardo Takemi Kataoka participaram da mesa de abertura.

O encontro foi dividido em quatro painéis: “General overview of Dutch Insolvency Law”, “The out of Court restructuring in the Dutch Legal System”, International Insolvency Cooperation: general problems and some cases”, The Trustee in Dutch Insonvency Law: powers, functions and its influence in Brazilian Insolvency cases”.

O seminário, além de apresentar o Direito Holandês da Insolvência, como ele funciona e quais as diferenças do processo brasileiro de recuperação judicial, também discutiu os casos e os problemas derivados dessas diferenças de jurisdição.

“A grande dificuldade do Brasil e da Holanda é o fato de que os dois países não têm um sistema de reconhecimento de processos de insolvência no exterior. Aqui no Brasil existem discussões sobre a reforma de Lei de Falências e uma das unanimidades entre os especialistas é a necessidade de inclusão de um capítulo sobre a insolvência internacional”, destacou o advogado Eduardo Takemi Kataoka, professor da UERJ.

Takemi ainda ressaltou a importância de se debater esse tema para o Rio de Janeiro: “Para o estado, é muito importante, porque cada uma das plataformas de petróleo que é utilizada na exploração de petróleo em todo o país pertence a uma subsidiária holandesa”.

Também participaram do evento os juízes Maria Cristina de Brito Lima e Paulo Assed Estefan; e os advogados Gilberto Gornati, Juliana Buchamar, Flávio Galdino, Giuliano Colombo, Fábio Rosas, Samantha Mendes Longo e Marcelo Carpenter.


27 de maio de 2019

Fonte: Assessoria de Comunicação Institucional da EMERJ


1 |  2 |  3 |  4 |  5 |  6 |  7 |  8 |  7 |  8 |  9 |  10 |  11 |  12 |  13 |  14 |  15 |  16 |  17 |  18 |  19 |  20 |  21 |  22 |  23 |  24 |  25 |  26 |  27 |  28 |  29 |  30 |  31 |  32 |  33 |  34 |  35 |  36 |  37 |  38 |  39 |  40 |  41 |  42 |  43 |  44 |  45 |  46 |  47 |  48 |  49 |  50 |  51 |  52 |  53 |  54 |  55 |  56 |  57 |  58 |  59 |  60 |  61 |  62 |  63 |  64 |  65 |  66 |  67 |  68 |  69 |  70 |  71 |  72 |  73 |  74 |  75 |  76 |  77 |  78 |  79 |  80 |  81


voltar