Fórum Permanente debate a adoção de crianças “fora do perfil”

clique na imagem para ampliar

O Brasil tem hoje 4.944 crianças em condições de serem adotadas. E, segundo o Cadastro Nacional de Adoção, 40.620 famílias estão habilitadas para recebê-las. Mas a preferência por bebês saudáveis faz com que essa conta não feche. O Estado do Rio de Janeiro, por exemplo, tem 167 crianças e adolescentes aptos à adoção. Mas a maioria, 96%, tem mais de sete anos, e 69% já passaram dos 13 anos de idade.

Para debater o tema e apresentar caminhos para a mudança dessa situação, o Fórum Permanente da Criança, do Adolescente e da Justiça Terapêutica da EMERJ, promoveu, nesta segunda-feira, 21 de maio, o encontro “Programa Adoção em Pauta 2018”, que debateu os desafios e as alternativas à garantia da convivência familiar de crianças “fora do perfil” desejado dos habilitados.

“O caminho para a mudança é propiciar encontros. Como titular da Vara da Infância e Juventude, eu já presenciei vários casos de mudança de perfil. Pessoas habilitadas que queriam adotar bebês, mas que adotaram crianças mais velhas, adolescentes, crianças com problemas de saúde. E tudo isso decorreu de encontro”, ressaltou o juiz Sérgio Ribeiro de Souza, presidente do Fórum e da Coordenadoria de Articulação das Varas de Infância, Juventude e Idoso (CEVIJ) do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ).

O juiz disse que, ainda este ano, a campanha “O ideal é real”, lançada no ano passado pela Associação de Magistrados do Estado do Rio de Janeiro (AMAERJ), será ampliada a nível nacional, com o apoio do Conselho Nacional de Justiça(CNJ). “ `O ideal é real´ é uma campanha de estratégias para propiciar encontros, para o Judiciário fazer com que as pessoas habilitadas conheçam as crianças e os adolescentes reais que existem para adoção. E se tivermos uma mudança de perfil de cerca de 19% dos habilitados, nós zeramos o número de crianças consideradas fora do perfil à espera da adoção. É preciso aproximar essas crianças e adolescentes dos pretensos adotantes. As pessoas chegam para se habilitar com uma criança idealizada e é preciso que nós mostremos para eles as crianças e adolescentes reais”, destacou o juiz Sérgio Ribeiro de Souza.

A advogada Silvana do Monte Moreira, diretora jurídica da Associação Nacional dos Grupos de Apoio à Adoção (ANGAAD), falou que os cerca de 150 grupos de apoio à adoção no Brasil usam ferramentas como as redes sociais e aplicativos de comunicação para facilitar a aproximação entre famílias que pretendem adotar crianças e adolescentes em condições de adotabilidade. “Os grupos de adoção, através da ANGAAG, que é a Associação Nacional dos Grupos de Apoio à Adoção, trabalha a busca ativa com base nas adoções necessárias, ou seja, crianças mais velhas, adolescentes, grupos de irmãos, crianças com patologias ou com deficiência. E isso tem aumentado o número de pais e mães que buscam crianças fora do perfil tradicional”, destacou a advogada.

O promotor Rodrigo Medina, coordenador do Centro de Apoio Operacional das Promotorias da Infância e da Juventude, citou números de crianças e adolescentes disponíveis para a adoção, destacando que 62% dos acolhidos no Estado do Rio de Janeiro estão em abrigos há mais de quatro anos. Ele apresentou o sistema “Quero uma Família”, do Ministério Público: “É um sistema de busca ativa, que permite que pessoas habilitadas à adoção em todo o país, que estão no Cadastro Nacional de Adoção, possam ver com novos olhos essas crianças e adolescentes que não encontraram habilitados para adotá-los num primeiro momento. A proposta do sistema é mostrar que essas crianças e adolescentes têm potencialidade e direito de viver em família. Desenhos, redações, fotos da convivência comunitária mostrando que eles estão aguardando por um lar são disponibilizados. Os grupos de apoio à adoção, o Poder Judiciário e o Ministério Público trabalham com a ideia das adoções necessárias”, concluiu.


21 de maio de 2018

Fonte: Assessoria de Comunicação Institucional da EMERJ.



MAGISTRADOS

Informações sobre Cursos Oficiais de Formação e Aperfeiçoamento.

VIRTUAL EMERJ

Ambiente Virtual de Aprendizagem. Cursos Oferecidos na Modalidade a Distância.

PORTAL ACADÊMICO

Espaço destinado aos alunos e professores do Curso de Especialização em Direito Público e Privado.

EVENTOS EMERJ

Fóruns, seminários e ciclo de palestras destinadas ao público em geral.

PUBLICAÇÕES

Coletânea de Artigos Jurídicos de Diferentes Áreas do Direito.

VÍDEO INSTITUCIONAL

 Seja Bem-Vindo à EMERJ.

INFORMATIVO

Divulgação de eventos, cursos e notícias.

EVENTOS GRAVADOS

Gravação de cursos, seminários e ciclo de palestras realizados pela EMERJ.

EVENTOS EXTERNOS

Divulgação de eventos da área jurídica de outras instituições.

LANÇAMENTO DE LIVROS

Divulgação dos lançamentos de livros de autores da área jurídica.

EMERJ TV

Programação destinada ao público interno do Fórum Central.