Evento na EMERJ dá início à campanha “Entregar é Proteger”

clique nas imagens para ampliar

“O juiz não pode ser pró-adoção ou pró-família. O juiz tem que ser pró-criança e adolescente. Isso é simplesmente obediência à Constituição”. Com essa declaração, o juiz Sérgio Luiz Ribeiro de Souza, presidente do Fórum Permanente da Criança, do Adolescente e da Justiça Terapêutica da Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro (EMERJ) e titular da 4ª Vara da Infância, da Juventude e do Idoso da Capital, abriu o evento do lançamento da campanha “Entregar é Proteger”, nesta sexta-feira, dia 11 de outubro.

Para um auditório lotado, o juiz explicou que a campanha visa orientar toda a rede de assistência, sendo uma campanha de esclarecimento. “Essa campanha não é para estimular a entrega para a adoção. E sim para estimular que aquelas mulheres que decidam, de forma madura, entregar os bebês para a adoção, que o façam de forma regular”, disse.

Para a advogada Silvana do Monte Moreira, presidente da Comissão de Direitos da Criança e do Adolescente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/RJ) a campanha é muito importante, porque é preciso “empoderar” as mulheres que querem entregar os bebês. “Elas têm o direito de dizer ´não quero ser mãe´ ou ´não posso ser mãe´. Esse mito de que todas nós mulheres temos que ser boas mães, é simplesmente mito. Temos que enfrentar essa situação de frente e dar a essa mulher o apoio necessário no momento de entrega. Ela precisa ser acolhida, cuidada. Ela jamais pode ser penalizada quando realizar essa entrega”, considerou a advogada.

“Todos nós deveríamos ter uma atitude de abertura e deixar os nossos preconceitos de lado para ouvir essa mulher. É preciso acolhê-la verdadeiramente, dar as orientações devidas e encaminhar a situação da melhor forma possível, pensando também no bem estar dela”, ressaltou a psicóloga Eliana Olinda Alves.

O juiz Sérgio Luiz Ribeiro de Souza explicou, ainda, que a mãe que deseja entregar o filho pode comunicar a decisão à vara da infância antes de ir à maternidade, ao conselho tutelar ou ao próprio hospital. “Ela vai ser ouvida pela nossa equipe técnica sem julgamento moral. As pessoas têm uma ideia falsa de que é melhor entregar a criança para alguém que diga que quer muito uma criança, sem saber se essa pessoa está habilitada para a adoção, sem saber que por trás dessa entrega irregular há quadrilhas que vendem crianças, há tráfico de órgãos”, alertou o magistrado. Ele informou que existe uma entrega regular: “não há preconceito nenhum na Justiça em relação à entrega e que essa é a única garantia de que essa criança vai ficar bem, com pessoas que já passaram por um processo de habilitação para a adoção. É uma entrega segura, que protege e garante o bem estar dessa criança”, concluiu.

O evento de lançamento da campanha “Entregar é Proteger” foi promovido pelo Fórum Permanente da Criança, do Adolescente e da Justiça Terapêutica da EMERJ, em parceria com a Coordenadoria Judiciária da Articulação das Varas da Infância, da Juventude e do Idoso. Também participaram do encontro o desembargador Fábio Dutra, secretário de assuntos institucionais da Associação de Magistrados Brasileiros (AMB); o juiz Daniel Konder, titular da Vara da Família, da Infância, da Juventude e do Idoso da Comarca de Valença; e a deputada Tia Ju, presidente da Comissão da Criança e do Adolescente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro.

11 de outubro de 2017.

Fonte: Assessoria de Comunicação Institucional da EMERJ.



MAGISTRADOS

Informações sobre Cursos Oficiais de Formação e Aperfeiçoamento.

VIRTUAL EMERJ

Ambiente Virtual de Aprendizagem. Cursos Oferecidos na Modalidade a Distância.

PORTAL ACADÊMICO

Espaço destinado aos alunos e professores do Curso de Especialização em Direito Público e Privado.

EVENTOS EMERJ

Fóruns, seminários e ciclo de palestras destinadas ao público em geral.

PUBLICAÇÕES

Coletânea de Artigos Jurídicos de Diferentes Áreas do Direito.

VÍDEO INSTITUCIONAL

 Seja Bem-Vindo à EMERJ.

INFORMATIVO

Divulgação de eventos, cursos e notícias.

EVENTOS GRAVADOS

Gravação de cursos, seminários e ciclo de palestras realizados pela EMERJ.

EVENTOS EXTERNOS

Divulgação de eventos da área jurídica de outras instituições.

LANÇAMENTO DE LIVROS

Divulgação dos lançamentos de livros de autores da área jurídica.

EMERJ TV

Programação destinada ao público interno do Fórum Central.