“A força de um povo se mede pelo bem-estar dos fracos”, diz desembargador Claudio Brandão durante palestra sobre Federalismo

clique nas imagens para ampliar

O Fórum Permanente de Estudos Interdisciplinares da Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro (EMERJ) promoveu, nesta quarta-feira, 28 de março, um encontro entre magistrados e especialistas para tratar do tema: “O Federalismo Brasileiro: O Princípio da Não Intervenção e as Exceções Constitucionais”. O evento foi presidido pelo desembargador Elmo Arueira, que abriu a reunião falando sobre a história das oito Constituições que o Brasil conheceu.

Convidado como o palestrante, o professor da EMERJ e desembargador Claudio Brandão de Oliveira iniciou a palestra falando sobre os tipos de federalismo que existem: “Existem dois tipos básicos: o primeiro é o federalismo por agregação e o segundo é o federalismo por desagregação, em que a centralização é maior. O ente central recebe a maior parcela de poderes, como é o caso da federação brasileira”.

Claudio Brandão explicou que, no caso do Brasil, o federalismo cooperativo se tornou comum entre os Estados: “O federalismo cooperativo, que surgiu no Brasil pós-revolucionário, na década de 1930, tem sido a forma mais dominante nas organizações estatais federativas, e tem como objetivo a livre cooperação entre os entes da Federação. A cooperação, que é uma característica da federação, evitou que em muitas situações de extrema sensibilidade e gravidade houvesse essa solução mais traumática, que seria a intervenção federal”.

Durante a sua exposição, o professor citou a frase contida no preâmbulo da Constituição da Suíça: “A força de um povo se mede pelo bem-estar dos fracos”.

Ao finalizar sua palestra, o desembargador foi categórico: “A intervenção é uma medida excepcional e não deve ser banalizada. O que se espera é que todos aprendam com o que houve e com o que está acontecendo para que, assim que cessar essa intervenção, não haja necessidade de outras. O importante é que se reconheça que a intervenção é uma medida muito atípica para um ambiente democrático e federativo”.

Também participaram da palestra como debatedores a desembargadora Áurea Pimentel, o desembargador Sérvio Túlio Santos Vieira e o juiz João Marcos de Castello Branco.

28 de março de 2018.

Fonte: Assessoria de Comunicação Institucional da EMERJ.



Magistrados EMERJ

MAGISTRADOS

Informações sobre cursos oficiais de formação e aperfeiçoamento.

Virtual EMERJ

VIRTUAL EMERJ

Ambiente Virtual de Aprendizagem. Cursos oferecidos na modalidade a distância.

Portal Acadêmico EMERJ

PORTAL ACADÊMICO

Destinado aos alunos e professores do Curso de Especialização em Direito Público e Privado.

Eventos EMERJ Gratuitos

EVENTOS EMERJ GRATUITOS

Fóruns, seminários e ciclo de palestras destinadas ao público em geral.

Publicações EMERJ

PUBLICAÇÕES

Artigos jurídicos de diferentes áreas do direito.

Informativo EMERJ

INFORMATIVO

Divulgação de eventos, cursos e notícias.

EMERJ em Pauta

EMERJ em Pauta

É o programa em vídeo disponibilizado no seu canal de Youtube, destinado a estudantes, profissionais do Direito e público em geral.

Eventos Gravados EMERJ

EVENTOS GRAVADOS

Seminários e ciclo de palestras realizados pela EMERJ.

Vídeo Institucional EMERJ


VÍDEO INSTITUCIONAL

Lançamento de Livros

LANÇAMENTO DE LIVROS

Divulgação dos lançamentos de livros de autores da área jurídica.

Eventos Externos

EVENTOS EXTERNOS

Divulgação de eventos da área jurídica de outras instituições.